Jornalismo, narcotráfico e tomada de reféns em debate na Católica-Braga

“Jornalismo, narcotráfico e tomada de reféns” é o tema do workshop de Jornalismo de Investigação que conta com as presenças dos jornalistas José Luís Manso Preto e Rui Neumann, na próxima quarta-feira, dia 29 de Março, a partir das 14h30, na Faculdade de Filosofia e Ciências Sociais, da UCP-Braga.

Num debate moderado pelo Professor Manuel Antunes da Cunha, os dois oradores convidados irão abordar a sua vasta experiência no jornalismo de investigação, nomeadamente a evolução e as condições de trabalho da profissão, os aspectos éticos, a relação com as fontes e a justiça, o processo e as etapas duma investigação e o trabalho de escrita.

Originário de Vila Nova de Cerveira, José Luís Manso Preto passou pelas redacções de O Comércio do Porto, O Primeiro de Janeiro, O Diabo, tendo ainda colaborado como free-lancer para o Expresso, a SIC, O Faro de Vigo, Voz da Galiza, El Mundo, El País e alguns canais da televisão espanhola, sendo hoje director do Minho Digital. Ficou célebre pela sua investigação ao narcotráfico, um trabalho que foi publicado em livro (Minho Connection, 1992) e lhe valeu uma reportagem da CNN e uma condecoração do SRITE (Secção Regional de Investigação ao Tráfico de Estupefacientes) da Polícia Judiciária.

Em 2002, Manso Preto foi protagonista de um caso inédito em Portugal, sendo detido por se recusar revelar as suas fontes. É ainda o único português a ter sido agraciado com o “Nécora de Ouro”, galardão atribuído anualmente pela Fundação Galega contra o Narcotráfico, figurando assim numa galeria onde pontificam nomes ilustres como o juiz Baltasar Garzón e o fiscal anti-droga Javier Zaragoza.

Originário da cidade do Porto, Rui Neumann tem uma vasta experiência internacional no âmbito do jornalismo de investigação, tendo acompanhado alguns dos principais acontecimentos políticos na República Democrática do Congo, República do Congo, Angola, Guiné‑Bissau, Timor‑Leste, Venezuela, Argélia, Sara Ocidental, Gabão, entre outros países. Acaba de publicar, na editora Chiado (2016), Raptos políticos e tomadas de reféns, um trabalho de investigação onde foram entrevistados raptores, negociadores e vítimas, mas também especialistas na formação das medidas e construção dos mecanismos legais contra este fenómeno.

Foi chefe de redacção do Encontro das Comunidades Portuguesas (Paris), tendo ainda integrado a agência de notícias PNN (Portuguese News Network) e a direcção da e‑Global Notícias, sendo ainda colaborado da Voice of America, Radio France Internationale e Rádio Capital FM (Bissau). É igualmente membro do Observatório Político (Lisboa) e do Institut de Relations Internationales et Stratégiques (Paris).

Esta iniciativa aberta ao público, que tem lugar no auditório Isidro Alves (edifício da Rua de Camões), insere-se num conjunto mais vasto de iniciativas e actividades que visam aproximar os alunos da Licenciatura em Ciências da Comunicação da Católica-Braga da experiência profissional e do mercado de trabalho.